Morte do Animal de Estimação

 Em Luto, Luto Animal de Estimação

Lidar com a perda do animal de estimação é algo delicado, seja por morte, separação ou separação forçada. Certamente, sofrer essa perda, não é exagero. Para quem está próximo de uma pessoa nessa situação, compreenda que não é “só um cachorro”, “só um gato” ou “só um peixe”. Porque essas pessoas já estão tão fragilizadas e ouvir isso não ajuda, pelo contrário, minimiza o que ela está sentindo.

Às vezes, o vínculo afetivo é de longa data o que faz sofrer ainda mais. Você consegue se lembrar de como foi a chegada dele em sua vida? Ele foi escolhido, adotado ou presenteado por alguém? Todo o carinho investido com a escolha do nome, o local preferido para dormir, o jeito sapeca que ficava quando você estava próximo. Essas são algumas lembranças de como ele trouxe alegria em sua vida.

É normal sentir essa dor?

Sim, porque é uma história de amor que foi interrompida, os primeiros dias serão os mais difíceis. Ainda mais, pelo tempo de convivência, troca de carinho sem expressão de palavras, participação de momentos tão especiais, um amigo fiel. Todo esse envolvimento deixará saudades. O mais difícil será a falta dele no convívio diário, já que ele estava sempre te esperando. Um companheiro de vida, seu “filho peludo”. Então não se sinta envergonhado(a) por sofrer a ausência dele.

Quando ocorre a morte do animal de estimação é importante realizar um ritual de despedida. Vale ressaltar, que quando tem criança em casa é importante explicar o que aconteceu e não simplesmente “substituir” por outro animalzinho. A criança precisa saber e aprender a lidar com essas “pequenas mortes”.

Quando enfrentamos esse tipo de perda, chamamos de luto não autorizado, termo cunhado por Doka, relacionado às perdas não reconhecidas pela sociedade ou pelo enlutado. Logo, o que dói é a pessoa não ter espaço para expressar os seus sentimentos.

O que fazer após a morte do animal de estimação?

É importante não se responsabilizar com alguns questionamentos, como: “Poderia ter cuidado mais”, “Por que não o levei ao veterinário antes” ou “Culpar-se pela decisão da eutanásia”. A pessoa sempre considera que não fez o suficiente. Mas tente lembrar de todo o amor que investiu, provavelmente foi o suficiente.

Vivenciar o processo de luto permite uma  reorganização emocional. Não significa que será fácil ou que não haverá tristeza, pelo contrário, seus sentimentos irão oscilar. O que significa que em alguns momentos você estará voltada para a perda: vai chorar, sentir saudade, olhar fotos, permanecer com os objetos que lembra o seu bicho. Em outros momentos, estará voltado para a restauração: vai se envolver com outras atividades, cuidar dos filhotes que ficaram ou buscar conforto com outros animais. E no momento oportuno, por sua vontade, poderá decidir em ter outro animal. Não substituindo o que se foi, pois este sempre será especial, mas para ter uma nova relação e poder amar outro bicho novamente.

É importante respeitar seus sentimentos, pois ocorreu o rompimento de uma ligação muito forte, um amor incondicional. Assim, chegará um tempo em que a dor se tornará suportável.

Se você gostou do texto, compartilhe com quem precisa!


ACOMPANHE MAIS CONTEÚDOS NAS REDES SOCIAIS:

Showing 26 comments
  • Marcia
    Responder

    Excelente texto. Ontem minha gatinha de 23 anos morreu. Precisei sacrificar devido à fragilidade de saúde que se encontrava. Foi uma decisão muito difícil e desde ontem fico pensando e imaginando ela deitadinha naquela caixa que preparei para ela e onde a enterrei. Hj até fui na veterinária para ter certeza que os medicamentos que foram dados a ela se garantem que ela realmente estava morta na hora que enterrei. É uma sensação horrível achar que enterrei minha gata viva. A veterinária garantiu que ela estava morta já na anestesia. Acho mais que é a sensação da perda.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Marcia,

      Puxa! Lamento pela perda da sua gatinha.
      Realmente é uma decisão difícil, uma vida juntas, certamente com muitas histórias.
      Acredito que não teria a possibilidade de enterrá-la viva, nesse tipo de procedimento é necessário confirmar a morte do animalzinho.
      Mas com o sofrimento, ocorre vários questionários…
      REceba o meu carinho, espero que todo amor que tiveram traga conforto em seu coração.

  • Alessandra
    Responder

    Estou arrasada destruída minha gatinha morreu ontem atropelada nao consigo aceitar ficava no pé 24 horas td cuidado pra ela não sair????????????????foi td ke angústia horrível ke dor parece que nao passa tds lugares da casa lembra ela ate no banheiro ela ia cmg pq os bichinhos ke amamos tanto tem ke morrer assim

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Alessandra,

      Que tristeza! Lamento pela perda da sua gatinha.
      Acredito que esteja destruída, e sei que nada pode amenizar a sua dor agora. Tudo muito recente, a forma como ela morreu impacta também. Espero que tenha conseguido se despedir e espero que todo esse amor te ajude a lidar com a ausência dela.
      Receba o meu carinho e acolha a sua dor, o luto pela perda do animalzinho é semelhante com a perda de alguém que amamos muito.
      Cuide-se! Um abraço.

    • Thaís
      Responder

      A minha morreu hoje atropelada … era minha sombra… Nunca saiu pois nunca deixei . Por um descuido abrir o portão e ela escapou. Estou arrasada . O sentimento de culpa ta me matando 🙁

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Thaís,

        Puxa! Você deve estar arrasada, lamento profundamente pela perda dela.
        Eles são tão “espuletas”, que correm mesmo, não tem noção do perigo. Você se descuidou isso é real , irreversível e triste. Mas você também cuidou, disse que ela era sua sombra, que nunca saiu, certamente porque zelava por ela. Quem ama cuida, não se atente apenas com o descuido do portão, se atente também por tudo que fez. Pensar apenas nesse segundo do portão não seria “justo” com você.
        Espero que consiga ser mais cuidadosa com você, que as alegrias que tiveram juntas traga conforto em seu coração.

  • Joana
    Responder

    Bom dia. Grata por este texto maravilhoso. Perdi a Sally uma cadelinha de 20 anos,recentemente. Estou muito triste, a única alegria que tenho é saber que agora está livre de todos os problemas de saúde e limitações, como andar e correr sozinha. Fui cuidadora da Sally principalmente estes últimos 2 anos e 5 meses depois da partida da nossa adorada Mãe,que por sinal foi quem trouxe a Sally para nossa casa em 2004. A Sally deu me a maior lição de vida, O maior Amor incondicional por mim, não partiu até eu estar um pouco melhor do luto de minha Mãe.. Uma lutadora, uma guerreira até ao fim…. Muita gratidão por este lindo ser a Sally. A minha grande companheira.Até já minha adorada. ❤️❤️❤️

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Joana,

      Lamento muito pela perda delas! Que lindo a Sally ter sido sua companhia neste momento de dor. E ainda mais lindo o seu carinho e cuidado por ela. Só não entendi este “até já”, certamente ela espera o tempo que for, cuide-se ok.
      Um abraço!

  • Jéssica Nataly
    Responder

    Perdi minha gata na segunda feira… Fazia 16 anos que ela estava comigo… Estou desanimada e chorando muito… Está doendo demais ????????????

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Jéssica,

      Lamento pela perda da sua gata! Dói sim, dói o corpo e dói a alma! Apenas você entende como foi a relação de vocês nestes 16 anos!
      Então, respeite sua dor, respeite seu tempo. Acesse o e-book gratuito, nele tem algumas informações sobre o luto, sobre como lidar com a perda.
      https://cristianeassumpcao.com.br/baixe-o-meu-e-book/

      Um abraço!

      • Marcus
        Responder

        Eu tenho um Rotwaller que esta com 14 anos, ele esta debilitado perdeu os movimemtos das patas trazeiras possui um cancer na pata dianteira estamos cuidado privativamente para amenizar ao maximo a dor dele. BRUTUS MEU fiel amigo protetor loho vai embora. Doe muito a decisão da autanasia ja sofro choro mas tambem sei que a dor dele sera amenizada é triste mas os momentos especiais são maiores e um dia sei que o reencontro sera certo.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Marcus,

          Puxa! Lamento pelo adoecimento do Brutus.
          Você está ‘consciente’ da situação dele e do que será necessário fazer. O que não isenta o sofrimento, pelo contrário: dói, dói e muito. Você vive um ‘luto antecipatório’. Respeite sua dor, organize o momento da despedida. E certamente guardará todas memórias dele com muito carinho.

          Receba o meu carinho! Que “sorte” vocês tiveram em ter um ao outro nessa vida!

  • Simone Miranda de carvalho
    Responder

    Eu perdi minha gata de uma maneira muito triste. Ela era um amor eu não tenho palaveas pra dizer. Ela sofria se constipação porque tinha a bacia estreitada. Eu dava laxantes para ela e assim ia. Um dia levei ela no veterinário né ela sugeriu uma lavagem eu feliz levei. Ela deu uma leve anestesia pra retirar as fezes com o dedo sem precisar de cirurgia mas não conseguiu. Fez a lavagem normal. Levei ela pra casa tirei ela da caixa e botei no sofá todo arrumadinho pra ela. Quando me virei pra ir na cozinha que e pertinho e voltei ela tava no chão peguei.ndepois ela começou a ficar sem ar levei imediatamente e aí aquela correria a veterinária disse que ela fraturou o diafragma. Eu me questionou porque deu aquela injeção nela. Porque não fez só a lavagem … Porque… É uma tristeza tão grande.. meu Deus ! Me ajude

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Simone,

      Puxa, lamento pela perda da sua gata.
      Infelizmente não temos todas respostas, certamente você tentou fazer o melhor, a médica também.
      Nos questionamos por nossas decisões, algumas vezes nos culpamos, culpamos o outro…
      Fica presente a dor da perda, mas também pode ficar o amor que tinha por ela. Vou deixar o link do meu e-book, acredito que pode te ajudar. https://cristianeassumpcao.com.br/baixe-o-meu-e-book/

      Um abraço!

      • Maria
        Responder

        Minha amiga perdeu o gato dela hoje, e ela esta vendo ele deitado no quarto dela como se estivesse vivo, e as vezes ele esta andando, estou preocupada com ela porque só ela ve isso, oq eu faço pra ajudar ela?

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Maria,

          Lamento pela perda do gato da sua amiga.
          Só estou conseguindo responder sua mensagem hoje, 22/03, será que ela ainda está com essas “visões”.
          Em um primeiro momento entender que quem perde um animalzinho de estimação, sofre tanto quanto alguém que perde alguém que ama. Quando enfrentamos uma perda, ficamos confusos e é possível acreditar que está vendo quem morreu. Depois me conta como ela está.

          Um abraço para vocês!

    • Márcia Bertoletti
      Responder

      Eu perdi minha cachorra quarta feira passada, uma Basset hound linda, de 6 anos, chamada Porpetta. Enquanto meu filho guardava o carro ela escapou pela garagem e atravessou a rua, um carro em alta velocidade a atropelou e a matou. Nossa alegria foi embora com ela! Só choro, não tenho vontade de mais nada nessa vida. O que fazer pra se recuperar de uma perda trágica como essa? Dói demais!!!

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Márcia,

        Lamento pela perda da Porpetta.
        Eu já perdi animais de estimação, não dessa maneira violenta, mas acredito que não esteja sendo fácil.
        Eles são tão “danados”, portão aberto, questão de segundos, importante pensar que ninguém gostaria que ela morresse dessa maneira.
        Sobre como se recuperar, cuide de você, da sua dor, certamente vai sentir falta dela, eles são super amorosos e companheiros.
        Sofremos sim com a morte deles, então não tem problema ficar triste, não tem problema chorar… guarde todo o amor pela Porpetta em seu coração. Ela certamente trouxe muitas alegrias nesses 6 anos, esse é o “preço que pagamos pelo amor”.
        Acolha a sua dor, guarde com carinho as lembranças dela, as coisinhas dela… e no momento oportuno pode decidir se terá outra cachorrinha. Não para substituir a Porpetta, pois ela teve e tem seu lugar especial, mas para amar novamente.
        Um abraço em todos vocês!

  • Dani
    Responder

    Ontem meu cachorro Petros se foi, tentei de tudo, nada foi suficiente, foi tão de repente, foi tão difícil autorizar a autanasia, eu disse que ia ficar tudo bem quando ele foi internado, eu realmente tinha esperanças, mas quando voltei lá para ficar ao lado dele durante esse procedimento, eu conversei com ele, eu amava tanto ele, tô com tanta saudades que as vezes ouço um barulho no muro e penso rapidamente que é ele, depois caio na realidade, foi muito difícil ver tudo acontecendo mas eu preferi não deixar ele sozinho nesse momento, acho que nunca estive tão triste. Desculpa Petros, te amarei para sempre, desculpa ????

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Dani,

      Lamento pela perda do Petros!
      Certamente não é fácil lidar com a decisão da eutanásia, estar presente no último momento, dar o último adeus. Acredito que poder guardar em seu coração todo o amor que tinha, pode trazer algum conforto.

      Um abraço!

  • Danuaa
    Responder

    Estou a perder minha gatinha mimi de 10 anos por 2 tumores figado e no baço. Vejo que ela esta sofrendo muito, estou me segurando pra não fazer eutanásia. Mas nao quero ser egoísta e ficar vendo ela sofrer. Preciso dar um deacanso a ela, sera um modo de agradecer tudo q ela ja nos fez nesses 10 anos. Nos alegrou, nos fez chorar de tanto rir. Mas agora é hora de ela descansar um pouco.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá,

      Acredito que não estará sendo egoísta, estará zelando pela Mimi. Provavelmente a qualidade de vida está comprometida, o que causa muita dor, tanto para quem convive com ela, quanto para ela.
      Desejo que ela sofra o menos possível e que descanse em paz.
      Um abraço.

  • Alexandra Maria da Silva
    Responder

    Hj eu pedir minha cachorra três meses essa dor muito grande não passa

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Alexandra,
      Lamento sua perda! Acredito que esteja sendo muito difícil, eles se tornam nossos companheiros e fazem falta.
      É uma tristeza realmente.
      Se precisar conversar sobre sua perda, estou aqui!

  • Cristiane Assumpção
    Responder

    Obrigada Maria!

  • Maria Julia
    Responder

    Adorei a o texto! Realmente, as pessoas acham que luto é apenas direcionado à pessoas, e não animais. Lembro que, quando era mais nova, minha cachorra brenda morreu, e eu fiquei muito triste, pq eu tinha acabado de acordar e ela já estava morta. Mas ngm fez muito caso disso, pq ”era só um cachorro”. Enfim, estou na espera de mais textos incríveis como este.

Deixe um comentário