Como Lidar com o Luto?

 Em Luto

Enfrentar a perda de quem amamos é algo devastador! Nos questionamos sofre o que fizemos, sobre o que não fizemos e se iremos conseguir viver sem o nosso ente querido. E uma pergunta muito frequente é como superar o luto? O luto não se supera, o luto não se cura o luto não se elabora.

O luto precisa ser cuidado, respeitado, validado!

Eu, assim como você, também passei pela experiência do luto e acredito que quando perdemos alguém, vivenciamos “três momentos”, ficamos sem chão, enfrentamos muita desorganização e caminhamos para nos reconstruir.

E QUANDO FICAMOS SEM CHÃO?

No momento em que recebemos uma ligação, para irmos até o hospital. No momento em que o(a) médico(a) diz: “não tenho boas notícias”, “nós tentamos de tudo, mas ele(a) foi a “óbito”. Quando alguém nos dá a notícia mais aterrorizante de nossas vidas ou pior, quando encontramos sem vida aquela pessoa especial.  Essas frases ou cena, atormentam a cabeça, quem já ouviu ou passou por isso, compreende como é doloroso!

Custamos a acreditar, ficamos em estado de choque, anestesiados. E todos os acontecimentos ficam marcados: quem conversou com você, como você recebeu a notícia, com quem estava, aonde estava, o que fez em seguida, como a pessoa morreu…

Automaticamente nosso corpo manifesta algumas reações normais, como dor de cabeça, boca seca, náuseas, fadiga… vem o choro, a tristeza, raiva, culpa, desamparo, falta ou aumento de apetite, insônia ou muito sono, falta de concentração, questionamos a Deus, nossa imunidade fica comprometida e podemos adoecer… Desejamos a presença das pessoas próximas e distância de quem mais atrapalha do que ajuda.

Tanto desespero e ainda nem chegamos ao velório!

Infelizmente, algumas pessoas não conseguiram participar da despedida do seu ente querido. Devido a situação da pandemia, em casos de acidentes em que os envolvidos ficaram internados ou porque moram em lugares distantes…

E estar presente no ritual de despedida, ajuda no processo de luto, pois ele exerce algumas funções: permite a concretude da morte, permite o consolo, permite falar sobre a pessoa que morreu, permite o último adeus.

Ainda sobre o funeral, quanta dificuldade! Essa família tinha plano funerário? Quem ajudou nas questões burocráticas? A pessoa foi cremada? Sepultada? Quem decidiu? Era a vontade do falecido? Quem escolheu a roupa? Quem fez a última homenagem? Aonde guardar as cinzas? Quem esteve presente neste momento tão delicado? Quais foram as pessoas que sequer enviaram uma mensagem? E as pessoas ‘desagradáveis’? Sim! Tem muita gente sem noção, com comentários desnecessários em velórios.

Muitos pacientes descrevem que o momento de fechar o caixão, aquele “último instante” é avassalador!

ENFRENTAMOS MUITA DESORGANIZAÇÃO

Dia seguinte ao velório, como estamos? Péssimos, ainda sem acreditar. As pessoas ao nosso redor, amigos, colegas de trabalho, familiares, soltam a clássica: você precisa ser forte! WTF!!!

Mais à frente vou, compartilhar sobre o que não fazer e dizer a uma pessoa enlutada. E “seja forte” é uma delas. A pessoa que perde alguém especial está devastada, mas obviamente alguém mais “organizado emocionalmente”, aquele familiar incumbido de resolver as questões burocráticas, como falar com a funerária, polícia em casos de acidente, homicídio e suicído também sofre, mas seu luto foi “adiado”.

E as pessoas que falaram a pérola sobre ser forte, são as mesmas que voltaram com suas rotinas. Mas o enlutado, está mergulhado em sua dor e com dificuldade para fazer o básico no seu dia a dia.

Porque TUDO MUDA! A vida de quem perdeu alguém, não é e não será a mesma. Então, não tenha pressa, respeite o seu luto, respeite a sua dor. Eu não sei se você perdeu um pai, uma mãe, um filho, um marido, uma esposa, o namorado, o cachorrinho de estimação. Mas, saber que não iremos mais ouvir a voz daquela pessoa, sentir o abraço, o sabor da comida que preparava, que ela não chegará mais naquele horário, que ela não estará mais presente nos momentos de alegrias e de dificuldades é muito, muito triste.

E quem irá fazer o que o seu ente querido fazia? Você precisou mudar de casa? Quem vai cuidar das crianças? Quem vai fazer o jantar? Quem irá te ajudar financeiramente? Será que vou conseguir viver sem ele(a)? Será que vou conseguir me desfazer dos pertences? O que vou fazer com o seguro? Vou receber alguma pensão? Vou passar dificuldade? Ou foi um alívio? Sim, algumas pessoas vivem relações abusivas e quando ocorre a morte dessa pessoa é um alívio. O que também gera desconforto, pois as pessoas ao redor desconhecem a história e podem julgar a falta de sofrimento do outro.

Às vezes, a relação familiar é comprometida. Porque as pessoas não entendem, que cada uma reage de uma maneira. Quando um casal perde o filho, por exemplo, a atenção é direcionada apenas para a mãe. Mas os homens também sofrem, eles também perderam um filho. O casal se afasta, ocorre julgamentos, brigas, a relação sexual é impactada… E se não tiver uma boa comunicação entre eles, pode resultar em uma separação.

A vida vai seguindo, precisamos vivenciar o nosso luto. E o que é vivenciar o luto? É não bloquear os sentimentos, é não fingir que nada aconteceu. Porque aconteceu. Você perdeu a pessoa mais valiosa da sua vida, inibir a dor não é a solução. Evitar falar sobre o que aconteceu ou sobre a pessoa não é a solução.

Você vai passar por momentos delicados, vai chorar, vai sentir raiva, vai se sentir culpado, arrependido por coisas que fez e deixou de fazer, vai se questionar do porquê não foi no lugar dela, vai desejar ir ao cemitério, pode evitar coisas que lembra ela e os lugares também. Mas, infelizmente algumas respostas nós não teremos.

Enfrentaremos muitas “oscilações”, gosto da analogia do mar! Sabe quando tem momentos em que as ondas estão mais fortes e em outros momentos mais calmas? Assim será a nossa vida, passaremos por momentos mais calmos, iremos retomando as atividades, em outros ficaremos tristes apenas de olhar uma foto ou de alguém perguntar sobre o seu ente querido. E está tudo bem! O saudável é isso, momentos positivos e negativos… ficar apenas mergulhado em um ou em outro pode complicar o seu processo de luto.

Esse momento de desorganização, perdura por muito, muito tempo. Dependendo de como a pessoa morreu, se causas naturais ou acidente, homicídio, suicídio e do seu histórico de saúde, um quadro depressivo ou tentativa de suicídio, por exemplo.

CAMINHAMOS PARA NOS RECONSTRUIR

As pessoas perdem a esperança e  se perguntam sobre como superar o luto. Eu particularmente não gosto do “superar”, ninguém supera a morte de quem foi especial. Mas podemos aprender a lidar, podemos ressignificar a perda. O luto sempre estará presente em nós, porque amamos a pessoa que morreu. Ficar triste é normal, mas permanecer em sofrimento não! Por isso é importante buscar ajuda, para permanecer em seu coração o amor e não a dor!

Como seguir em frente, sem a pessoa mais valiosa da sua vida?
A resposta está escondida dentro da sua dor! Ela é o caminho para você se reconstruir.

Quando o sofrimento de perder alguém nos invade, não é nada fácil lidar com essa realidade árdua. Mas, as coisas começam a mudar, quando aceitamos o que aconteceu. Não tem como fugir e não estou falando sobre evitar a dor, sobre nunca mais falar da pessoa que morreu ou sobre esquecê-la. Estou falando, que olhar apenas para o evento trágico te impede de recordar o período de amor vivido. E são exatamente essas lembranças que precisam ser eternizadas.

É normal, duvidar da sua capacidade de seguir a vida ou resistir em se restabelecer. A tendência é permanecer na zona de conforto, ou na verdade, na dor. Tudo que é diferente nos faz sentir medo e o novo é desafiador. Mas ressignificar a perda é o melhor caminho.

A perda que você enfrentou faz e fará parte da sua história, essas experiências te transformaram para você ser a pessoa que é hoje. E todas as lembranças do seu ente querido, serão carregadas para sempre em seu coração.

Dessa forma, você tem duas opções: permanecer no sofrimento, que resultará em prejuízos para sua saúde física e emocional ou buscar ajuda para encontrar sentido na vida.

Faça o que é correto para você, porque uma coisa é certa: sentir infelicidade com a vida te impede de olhar o amor, a luz e a verdade para novas possibilidades.

Enxergar, além do fato acontecido é necessário e essa é a descoberta mais intensa e profunda que podemos vivenciar!

Cada passo no processo do luto é uma transformação.

Showing 18 comments
  • Fabiane andrade
    Responder

    Estava navegando pela site no Google e encontrei esses site.
    Perdi minha fazem 33 dias, ela estava com enfisema pulmonar. Esta sendo muito difícil o luto.Meu coração está tão pequeno, sensação de incapacidade.Ela tinha 70 anos e a 8 anos estava com essa doença, ficava com oxigênio 48 horas ligado.Deus recolheu minha mãezinha e hoje ela respira sem sofrimento,tento lembrar dos nossos momentos de alegria.Nåo tem um dia que não choro de saudade mas a missão dela foi cumprida.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Fabiane,

      Lamento pela perda da sua mãe.

      A dor é tão grande que tomou espaço do seu coração! Faz bem lembrar dos momentos de alegria, mas vivenciar o luto é atravessar todas as dores, todo o sofrimento que ocorre com a perda daqueles que amamos. Entenda que não há problema algum chorar, pelo contrário, o choro é uma das reações do luto. Fico feliz que chegou até esse texto, desejo que assim como sua mãe cumpriu a missão dela, que você também consiga cumprir a sua. E se sentir que está difícil seguir sozinha, estou aqui

  • Valdineide
    Responder

    Tem 18dias que eu tento sobreviver ao meu luto. Meu marido tentou o suissidio. Esta muito difícil estou sem chão não sei o que fazer. Fico vagando nos meus pensamentos tentando compreender o porque ele fez isso. Nos omos umafamília muito religioso

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Valdineide,

      Lamento pela tentativa de suicídio do seu esposo. Todos precisam de cuidado, importante não julgá-lo e sim ajudá-lo. A pessoa que tenta o suicídio, quer de alguma forma eliminar a dor e não a vida. Está em sofrimento e vários são os motivos, compreenda que a pessoa religiosa não está isenta da dor, do sofrimento. Inclusive, muitos líderes religiosos passam por depressão, ansiedade, tentativa de suicídio e também buscam ajuda profissional. Busquem ajuda urgentemente.

      Um abraço 🌷

  • Carlos
    Responder

    Estou sofrendo muito sem o meu pai, ele se foi no dia 31 de dezembro do ano passado, estou revivendo todas as dificuldades que passamos no hospital com a parada cardíaca que ele teve do meu lado.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Carlos,

      Lamento pela perda do seu pai e pela data também! Quando diz que está “revivendo” as dificuldades, é porque está se aproximando da “data da morte”. Entre outras questões, como a parada cardíaca ter sido ao seu lado. Importante mencioanr que o luto do homem é um luto não reconhecido. Se precisar de suporte psicológico, entre em contato comigo: [email protected]
      Cuide-se 🙌

  • Daiane Marchetti
    Responder

    Bom texto, perdi minha mãezinha a 12 dias e estou me culpando que poderia ter feito diferente para ela ter vivido mais.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Daiane,

      Lamento pela perda da sua mãezinha! É triste ler sobre o quanto se sente culpada, deve ser muito difícil. Não tenho dúvidas, que se tivesse a chance de voltar no tempo, faria diferente, faria tudo diferente. Mas não temos esse poder e mesmo que você tivesse “feito diferente”, ainda assim, acharia que foi insuficiente. Acredito que fez o melhor que pode, agora precisa “juntar os cacos” e reconstruir a sua vida. Investir em você e não no sofrimento. Eu acredito que sua mãezinha te perdoou. Seria possível você se perdoar? Caso precise de ajuda especializada, entre em contato comigo: [email protected]

      Um abraço 🫂

  • Fabio Luciano de Oliveira
    Responder

    PERDI MINHA QUERIDA ESPOSA A DOIS MESES E MEIO , PELO COVID , ELA TINHA 43 ANOS , ERA 26 ANOS JUNTOS , MINHA VIDA ESTÁ UM REDEMOINHO DE SENTIMENTOS.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Fabio,

      Lamento pela perda da sua esposa!
      Perder a pessoa que foi sua companheira por anos, não é algo que vai se recuperar do dia para a noite. Sobreviver ao luto é um esforço gigantesco, com reações diversas, leia sobre as manifestações: https://cristianeassumpcao.com.br/luto/#manifestacoes-de-luto.
      Nos casos de perdas repentinas, o melhor a fazer é buscar suporte especializado.
      Faça o download do e-book: https://cristianeassumpcao.com.br/baixe-o-meu-e-book/ acredito que as informações poderão te ajudar.
      Acolha a sua dor, não tem outro caminho! Como assim? Chore, se dê um tempo, respeite o seu sofrimento e se cuida, porque luto do homem é um luto não reconhecido.
      Cuide-se 🙌

  • Maria
    Responder

    Amei o texto,muito obrigado mim ajudou muito…

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Maria!

      Que boa notícia, sinta-se amparada!
      Receba o meu carinho 🤍

      • ADEVILSON VARANDA COSTA
        Responder

        Bacana…estou passando por esta fase na minha vida…

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Adevilson,

          Lamento por sua perda!
          Receba o carinho de todos 🙌

    • Priscila
      Responder

      Muito obrigada estou passando por isso ????

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Priscila,

        Lamento por estar passando por isso! Cuide de você, sem pressa, uma passo de cada vez.
        Receba o meu carinho 🤍

      • Fernanda
        Responder

        Perdi a minha avó,faz 3 dias,era como uma mãe pois fui criada com ela. de longe, perde-la era o meu maior medo dessa vida. Fico buscando respostas, tentando entender e como passar por esse processo. Seu texto, descreveu exatamente pelo oq estou passando. Parabéns por compartilhar conosco essas palavras. E espero que Jesus venha confortar o coração de todos que estão passando porisso.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Fernanda,

          Lamento pela perda da sua avó/mãe!

          Quando a dor é recente, nosso sofrimento é tudo o que podemos acolher. Mal podemos acreditar que teremos que viver sem a presença do nosso ente querido. Infelizmente não teremos respostas para muitas perguntas e é preciso vivenciar o processo de luto. Chegará um momento em que não se lembrará mais do tão triste dia da morte dela, e sim dos momentos alegres que compartilhou com ela. Eu acredito que Jesus, Deus ou seja lá no que cada um acredita, pode sim confortar. Somado a outras coisas que podem ajudar: o que você pode fazer, o que u profissional pode contribuir…
          Obrigada pelas palavras de carinho sobre o texto!
          Desejo que consiga regar o seu jardim e enxergar o colorido de belas flores em sua vida 🌷

Deixe um comentário

Luto do Homem - Cristiane Assumpção